5 dicas para renegociar as dívidas com a faculdade

Entrar para a faculdade é o sonho de muitos brasileiros, porém esse sonho pode custar um pouco mais caro do que o previsto. Os alunos universitários acabam ficando inadimplentes por motivos de não conseguir pagar a mensalidade do curso. Isso acontece devido à vários motivos, os mais contantes deles são as crises familiares, perda de estágio ou emprego ou até mesmo falta de um bom planejamento financeiro. 

De acordo com lei, os estudantes om mensalidades atrasadas não podem ser constrangidos pela faculdade. No entanto, caso o universitário não entre em contato com a faculdade para renegociar suas dívidas no prazo de 90 dias (três meses), a instituição pode incluir o nome do estudante ou responsáveis diretamente no SPC/Serasa.

Além da renegociação diretamente com a faculdade, para não gerar ainda mais dívidas o estudante pode tentar financiar seus estudos com a Caixa FIES, programa criado pelo Governo Federal juntamente com o Ministério da Educação. 

Se você está passando por situações indelicadas como essa, ou deseja apenas ficar ciente das providências à serem tomadas para renegociar as dívidas com a faculdade, continue nos acompanhando pois listamos abaixo 5 dicas para renegociar as dívidas com a faculdade. Confira!

1.Saiba o valor da dívida 

Antes de qualquer outro passo a ser tomado, é de suma importância que você levante todas as informações possíveis referente aos valores que está devendo à faculdades. Assim, você terá maiores detalhes sobre a dívida e terá como falar com mais riqueza de informações no momento em que for renegociar as mensalidades atrasadas. 

2. Faça um levantamento de suas despesas pessoais 

Agora que você já sabe qual o valor de sua dívida com a faculdade, faça um levantamento de seus gastos com as despesas pessoais, como alimentação, aluguel, transporte, saúde e outros. Essa conta deve te mostrar todo os gastos fixos que você tem no mês e que não tem como não serem pagos. 

Ciente desses gastos, você terá uma ideia de quanto poderá pagar em cada parcela renegociada com a faculdade. 

3. Procure a faculdade 

Esse é o passo mais importante. Compareça ao atendimento presencial de sua faculdade para renegociar sua dívida. Todo o processo de renegociação não deve ser feito por telefone ou e-mail. Muitas faculdades possuem uma sala de atendimento específica para casos de renegociação de dívidas. Agende seu horário e compareça. É importante lembrar que todos os pontos devem estar bem esclarecidos para que não haja nenhum tipo de problema posteriormente. 

4. Apresente uma justificativa para o atraso 

No momento de renegociação da dívida, você pode deixar claro que está com dificuldade para pagar as mensalidades de seu curso. Sendo assim, além de pedir renegociação solicite bolsas de estudos oferecidas pela faculdade ou inscreva-se no FIES 2020.

5. Seja responsável no acordo que fizer

É de suma importância você ter atenção na hora de assinar o contrato de renegociação. Lembre-se que você terá que pagar as prestações em atrasos além da mensalidade atual. Por isso, certifique-se de todos os seus gastos fixos e tenha noção da conta que cabe no seu orçamento, para não gerar ainda mais dívidas.

Quais são os direitos trabalhistas que o MEI tem direito?

No mercado atual, uma das categorias que mais crescem é a de empreendedores individuais. Por isso, cada vez mais pessoas têm buscado se formalizar para garantir uma atuação mais segura.

Isso porque, ao trabalhar de maneira independente, o trabalhador está abrindo mão de seus direitos e fica impossibilitado de acessar recursos como o auxílio-doença, por exemplo.

Quando se registra como Microempreendedor Individual, o trabalhador passa a poder utilizar alguns benefícios da CLT. Você sabe quais são?

O Microempreendedor Individual (MEI) possibilita que diversos empreendedores do país possam se formalizar no mercado e estar ainda, sendo beneficiado por direitos que na condição de serviço independente o mesmo não teria.

Mas vale mencionar que essa categoria de serviço não é equivalente a possuir a carteira de trabalho assinada, o que quer dizer que o MEI não pode sacar o PIS 2020.

De acordo com os requisitos que definem a distribuição dos lotes a partir do calendário PIS 2020, o Microempreendedor Individual não pode sacar o abono, mesmo estando dentro dos requisitos, pois não possui registro na CLT.

Para poder se registrar como MEI, o empreendedor precisa star exercendo uma atividade prevista pela legislação da categoria, assim como não possui vínculo com nenhum outro negócio e receber até R$ 60 mil por ano.

Dessa forma, o trabalhador poderá solicitar a sua avaliação como MEI e se for aprovado, passar a utilizar-se de direitos como, por exemplo:

Auxílio-doença

O auxílio-doença é um recurso muito importante, que ficará disponível para o MEI caso o mesmo supere o prazo de 15 dias sem poder atuar em suas funções.

Aposentadoria

Um outro recurso interessante é a solicitação de aposentadoria. Para tanto, o beneficiário precisa ter 65 anos, se for homem, ou 60 anos se for mulher, e ter contribuído junto ao INSS por, pelo menos,  15 anos.

Salário-maternidade

O salário-maternidade também passará a ser direito do MEI ao se registrar. Para este recurso, é necessário que o trabalhador tenha contribuído com a Previdência por 10 meses. Vale lembrar que homens na condição de paternidade por adoção também podem requirir o benefício.

Auxílio reclusão

É interessante ainda, lembrar ao trabalhador que ao se formalizar como MEI, ele passa a poder solicitar o auxílio reclusão, que será recebido por seus familiares em caso de prisão.

Pensão por morte

Por último, sem deixar de ser um direito trabalhista muito importante, o MEI também passa a ter acesso a pensão por morte. O recurso vem a ser recebido pelos parentes do contribuinte.

5 coisas que você deve saber antes de alugar um carro

Alugar um carro pode representar muita facilidade para você, afinal os benefícios são muitos! Mas fique atento: é preciso ter cuidado na hora de avaliar alguns para não acabar fazendo um mau negócio.

Para ajudar você a garantir um bom contrato de aluguel, trazemos a seguir 5 coisas que você deve saber antes de alugar um carro. Veja mais a seguir:

1. O modelo define o valor

Como é de se esperar, os carros são divididos pela locadora por categorias. Essas categorias valorizam o custo original do carro, o valor do seguro e o ano do modelo. Todos esses aspectos definem o valor da locação.

Isto quer dizer que os carros 2020provavelmente, estarão custando um pouco mais que os modelos anteriores. É preciso considerar ainda a média do preço de cada carro.

Por isso, o motorista precisa estar atento as opções oferecidas pela locadora. É recomendado pesquisar alguns modelos de carro e os devidos valores antes de fechar negócio.

2. O seguro é variável

Qualquer carro que for selecionado na locadora irá possuir, obrigatoriamente, um seguro. Isto porque os gastos com o aspecto automobilístico podem ser grandes.

O seguro é necessário para que os veículo possam continuar funcionando da mesma forma e sendo alugados por muito tempo, sem preocupações com gastos extras.

3. É necessário possuir um cartão de crédito

Nem todo mundo sabe, mas para conseguir locar um carro, na maioria dos estabelecimentos, é necessário possuir um cartão de crédito. Você sabe para que serve?

Isso acontece porque a locadora estará disponibilizando o aluguel de um recurso caro e por isso, irá precisar de alguma garantia do valor acordado.

Sendo assim, quem pretende alugar um carro precisa dispor de um cartão de crédito. O mesmo não deve ser necessariamente do locador, mas é preciso ter limite.

4. Existem algumas taxas

O contrato de locação de um veículo é um documento muito delicado, com alumas clausulas bem específicos e e recomendado dar uma lida em cada uma delas.

Pois é nessa leitura que você encontrará a possibilidade de ser taxado, por exemplo, em caso de atraso da hora marcado. Esteja atento aos horários!

5. Você continua podendo ser multado

Para quem pensa que, por cometer uma infração de trânsito de qualquer nível com o carro alugado não estará sendo notificado pela multa está bem enganado!

No caso desse tipo de ocorrência, a locadora receberá a notificação com os detalhes da infração e o motorista responsável pelo veículo naquela hora quem terá de arcar com os custos.

Quais as implicações por não pagar o FIES?

O FIES é um dos programas de financiamento estudantil mais utilizados do mercado, principalmente por oferecer condições exclusivas para cada estudante. E quando os beneficiados concluem o curso, o investimento realizado pelo programa deve ser retornado para a instituição após determinado período. Mas você sabe o que acontece se você não pagar?

O FIES corresponde a um programa de financiamento estudantil que promove o incentivo ao estudo, ofertando bolsas para o nível superior.

O programa é bastante um dos mais populares entre os estudantes, principalmente por ofertar os juros de financiamento mais baixos do mercado.

Mas vale lembrar que o FIES também exige uma série de contribuições por parte do estudante, como é o caso do aditamento Fies e da porcentagem mínima de aproveitamento por semestre.

Antes, não era exigido nenhum tipo de pagamento dos bolsistas durante o curso, mas o programa passou por algumas mudanças a fim de atender o maior número de alunos possível.

Por isso, é necessário que os estudantes, exceto os que são bolsistas integrais, cumpram com o valor trimestral de R$150. E também há implicações para quem não cumpre com o pagamento.

A primeira categoria de pagamento do Fies será justamente esse valor trimestral a ser pago. Quando deixa de cumprir com a cifra, o estudante fica sujeito a cobrança de juros e multas.

Ou seja, o valor pode até dobrar para quem não paga. Além disso, também é possível o cancelamento da sua bolsa, sendo necessário interromper o curso.

Portanto, quem ainda não cumpriu com esse boleto pode tentar negociar a divida com o programa ou emitir a 2 via boleto FIES para sanar os valores pendentes.

Mas e quanto a quem deixa de cumprir com o Fies após a finalização do curso?

Bem, estamos falando da segunda categoria de devedores do Fies: quem não paga o valor do financiamento. Você deve saber que os bolsistas do Fies precisam assinar um contrato de financiamento e por isso, estão legalmente obrigados a cumprir com os valores combinados em termos.

Quando deixa de cumprir com o que foi acordado no momento de contratação, o estudante fica igualmente sujeito a cobrança de multas e juros.

E não é só isso! As implicações para quem deixa de pagar podem levar o estudante bolsista a ficar com o nome na lista de devedores do SPC, no SERASA E no CADIN, ou seja, sem poder de aquisição. O melhor é organizar os gastos e evitar as pendências com o programa!

Fonte: https://fies2020.info/

Saiba quando vale a pena fazer um financiamento

O financiamento é uma forma prolongada de cumprir com alguns negócios e aquisições. Apesar de parecer um passo arriscado, já que você ficará responsável por aquele pagamento por um bom tempo, o financiamento pode ser um negócio interessante para você em algumas ocasiões. Será que vale mesmo a pena financiar? Veja a seguir quando vale a pena e de que forma você pode investir o seu dinheiro:

O financiamento é uma forma de contratar um serviço ou adquirir um patrimônio a longo prazo. Por vezes, essa contratação pode exigir a presença de um fiador e se você não tem uma pessoa em vista, pode ser arriscado tentar essa possibilidade.

Existem algumas situações em que vale a pena sim começar um financiamento, mas você deve estar atento às propostas pra não acabar caindo em um negócio ruim!

Confira agora algumas situações mais prováveis para um financiamento bem investido e saiba o porquê de valer a pena para você assinar o contrato.

Para se capacitar profissionalmente

Vamos começar falando do financiamento estudantil, que é quando programas liberam uma determinada verba para que você possa começar o seu curso superior. O dinheiro investido deve ser retornado posteriormente, mas este pode ser um grande negócio para você, caso contrate o Fies 2020 por exemplo.

Isto porque o programa possui os juros mais baixos do mercado e de acordo com o novo Fiesnem é necessária a presença de um fiador para fidelizar a contratação. Com este tipo de financiamento você estaria investindo profissionalmente em si mesmo.

Para adquirir um imóvel

Um outro tipo de financiamento que pode ser positivo para você sair do aluguel é aquele para comprar a sua casa própria. Assim, você estaria construindo um patrimônio e em algum tempo estará livre dele e morando no que é seu.

Mas nem sempre essa pode ser uma boa solução. Você deve fechar negócio caso consiga vantagens na hora de comprar a casa ou caso você possa dar uma boa entrada para diminuir as parcelas.

Para conquistar um carro particular

Aquisição de patrimônio é muito importante, principalmente se você é do tipo de pessoa que gosta de estabilidade e segurança financeira. Mas é preciso estar atento aos negócios ruins!

Reveja diversas vezes o seu orçamento, de forma que a porcentagem do financiamento não coloque a sua renda mensal no vermelho. Afinal, junto com o carro virão gastos extras e você deverá estar preparado para eles!

Encceja tem aumento de 75% no número de inscritos, diz Inep

A prova do Encceja está para acontecer e o número de inscritos surpreendeu os dados do Inep. O objetivo da inciativa é proporciona certificação para quem não conseguiu concluir o ensino fundamental e médio. Mas o que justificaria esse aumento da participantes no exame?

Encceja é a sigla para o programa Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos. O objetivo do programa é oferecer um certificado para os estudantes que não puderam concluir a escola.

Mas não são todos os estudantes que podem participar da prova! Antes é preciso estar de acordo com as exigências do Encceja. Veja abaixo:

  • Para a certificação do ensino fundamental, o candidato deve ter ao menos 15 anos;
  • Para a certificação do ensino médio, o candidato deve ter ao menos 18 anos.

Para quem quer fazer a prova e ainda não está dentro da faixa etária estabelecida, vale lembrar que as idades minimas para cada categoria mencionada a idade deve ter sido completada até o dia da avaliação.

O Inep é o órgão responsável pela execução do Encceja e recentemente lançou dados que apontam um grande aumento no número de inscritos no programa.

Mas o que poderia justificar esse aumento?

Apesar de estar ativo há algum tempo, nem todo mundo conhece o Encceja. Entretanto, esta opção está ficando mais popular e por isso, o público tem procurado sobre as inscrições. Além disso, é uma alternativa para quem já está fora da escola há algum tempo.

Geralmente, o edital do exame é lançado em maio, mas para acompanhar com precisão as data das inscrições Encceja 2020 é necessário acompanhar o site.

A prova do Encceja é uma das formas mais fáceis de conseguir o seu certificado, além de se ruma inciativa gratuita. por isso, é preciso se preparar para conseguir uma boa pontuação.

O Exame Nacional Para Certificação de Competências de Jovens e Adultos é realizado em dois períodos do dia: manhã e tarde. Os estudantes devem responder 40 questões objetivas em cada turno totalizando 60 questões, e mais uma prova de redação.

Os assuntos abordados estarão relacionados com o ensino fundamental e médio, e para ajudar os estudantes a relembrar o que deve ser estudado, o Inep disponibiliza o Livro do Estudante para que você dominar os conteúdos.

Você pode se preparar para a prova de redação utilizando os temas antigos lançados pelo Encceja. Assim como também pode utilizar as verões anteriores da prova objetiva.

O Prouni concede bolsas para pós graduação?

O Prouni é um programa que facilita o acesso ao ensino de qualidade. Com este recurso, os alunos podem começar a estudas em faculdades particulares por um curso acessível. Muita gente já se beneficiou das bolsas do Prouni, mas será que você pode utilizar esta ferramenta para começar a sua pós graduação? Entenda esta e outras dúvidas a seguir:

O que é o Prouni?

O Programa Universidade Para Todos foi desenvolvido para distribuir bolsas de estudo na rede privada.  Seu maior objetivo é facilitar o acesso ao ensino superior para os estudantes de todo o país.

A inciativa é totalmente voltada para as vagas da rede privada, enquanto o Sisu, é responsável pela distribuição de vagas na rede pública. Com o Prouni, o estudante pode conseguir uma bolsa parcial ou integral nas melhores instituições do país.

Como o programa funciona?

Após a sua participação no Enem e da divulgação de sua nota, você deverá se inscrever no Prouni. O programa é voltado para os estudantes de baixa renda, por isso, dispõe de alguns requisitos, como renda baixa e ter concluído o ensino médio na rede pública ou na rede privada como bolsista integral.

Quando você se inscrever no Prouni, terá de escolher duas opções de curso para concorrer a uma vaga. Só serão selecionados os alunos que superarem a nota de corte do curso escolhido. Esta nota será lançada diariamente durante os dias de inscrição, dependendo da nota dos candidatos inscritos para cada curso.

Posso conseguir uma bolsa para pós-graduação?

O Prouni é totalmente direcionado para o nível superior de ensino, entretanto apenas para graduação, por isso não é possível usá-lo na pós. Mas vale lembrar que existem outras iniciativas que podem ajudar você, como o Quero Bolsa 2020que distribui bolsas de estudo.

Outro programa que você pode utilizar para pagar menos na mensalidade é o Educa Mais Brasil 2020O programa proporciona bolsas de estudo de até 70% nos mais diversos níveis de ensino e você recebe desconto até o final do curso.

Qual a diferença entre Prouni e Sisu?

Como mencionado acima, o Prouni é o programa que distribui vagas para a rede particular, enquanto o Sisu, na rede pública. Com o Prouni, o estudante pode pagar menos ou até não pagar nada. O Sisu só dispõe vagas gratuitas.

As datas de inscrição e divulgação de resultado também são diferentes. Geralmente, a inscrição para o Sisu começa antes, em janeira e logo após, vem a do Prouni.

Conheça as Melhores Sete Motos Lançadas pela Yamaha

Todos os anos a indústria automotiva vem se atualizando. É que além do grau de exigência dos consumidores, o nível de concorrência também está cada vez maior. A Yamaha, por exemplo, não quer subir no ranking de fabricante menos consumida. Por isso, busca lançamentos de modelos e aprimoramento em linhas que já fazem sucesso.

Sobre a Yamaha

A Yamaha é uma empresa japonesa, produtora principalmente de motocicletas, mas fabrica também quadriciclos, motores e peças. Criada em 1955 por Torakusu Yamaha.

Hoje, atua no Brasil  com a venda de milhares de exemplares de seus produtos. Fidelizou os seus clientes brasileiros, sendo considerada uma das melhores montadoras e ocupando boas posições no ranking de vendas.

Anualmente as linhas são atualizadas, algumas com ajustes mais expressivos e outras com modernizações pequenas. Além de possuir um catálogo de motocicletas famosas pela ostentação que simbolizam, como a Yamaha R3.

Mas a empresa se prepara para atender todo o tipo de público, e por isso possui uma linhagem de motos menos agressivas e ousadas, e consequentemente com menor valor. Por exemplo a Yamaha Factor 150.

Lançamentos Yamaha

Para aumentar o número de fiéis consumidores, os quais a empresa faz questão de manter. Os lançamentos de novos modelos da Yamaha duram em torno de 1 a 2 anos de diferença. Embora anualmente as máquinas sejam atualizadas, lançamentos em grande proporção não são feitos com tanta frequência.

Os lançamentos são normalmente no Salão Duas Rodas, e outros eventos que reúnem o principal público da marca.

A lista de novidades deve girar em:

  • Ténéré 700;
  • Fazer 150;
  • R3;
  • MT-07;
  • Factor 150;
  • MT-15;
  • Lander 250.

Vantagens de ter uma moto Yamaha

A compra de uma moto já é vantajosa devido a três fatores principais: consumo de combustível, valor do produto e preço de revenda.

Depois é preciso avaliar a montadora escolhida, e a Yamaha costuma agradar a maioria de seus clientes. Principalmente quando se trata do setor financeiro. Já que a montadora possibilita o pagamento à vista e à prazo, diretamente com uma concessionária autorizada e com juros bem baixos.

Sem contar no consórcio Yamaha que ajuda vários motociclistas a finalmente comprar a sua moto dos sonhos, ou fazer do veículo um instrumento de trabalho. Com preço baixo e consumo de combustível menor que um carro, a compra por uma moto compensa.

Saiba Como Conferir o Resultado do ENEM!

O Exame Nacional do Ensino Médio é uma avaliação que padronizou o ingresso do nível superior para os estudantes brasileiros. A pontuação alcançada pode realizar o sonho de conquistar um diploma de graduação. Por isso, é preciso que os participantes confiram todos os dados no sistema corretamente e consigam uma nota alta. Você sabe como conferir o resultado do ENEM? Saiba como a seguir.

O que é o ENEM?

O ENEM é um exame que avalia o aprendizado dos conteúdos do ensino médio e utiliza a pontuação alcançada para distribuir as vagas no ensino superior para rede pública e privada.

A maioria das instituições utiliza o sistema do Enem para preencher as suas vagas. Existem muitas possibilidades para usar a sua pontuação do exame e você precisa saber como!

Para participar da prova, é necessário se inscrever no ENEM durante o período indicada. No site oficial, você verá informações como local de prova, data e hora.

É através do mesmo sistema digital que você verá o resultado do Enem, mas para saber do resultado das vagas de graduação, são utilizados outro sistema.

Como utilizar a nota do ENEM?

O resultado do ENEM pode ser utilizado de diversas formas, entretanto, as mais populares são as plataformas do SISU e do PROUNI. O Sistema de Seleção Unificada é dirigido ao ingresso no ensino público, e o Programa Universidade Para Todos é voltado para o ensino na rede privada.

Cada sistema irá dispor de uma plataforma diferente e de datas de funcionamento diferente, por isso, é preciso ficar atento no tempo de inscrição de cada programa.

Você irá utilizar a sua nota do exame para concorrer nos sistemas de distribuição de bolsas. Em ambas as situações é possível escolher duas opções de curso, mas é importante lembrar que o sistema dará prioridade a primeira delas.

Como ver o resultado?

Se a sua pontuação for superior a nota de corte do seu curso selecionado, você poderá garantir a sua graduação. Para conferir o resultado SISU, você deverá acessar o site do sistema durante o período de divulgação.

O mesmo ocorre para a distribuição de bolsas pelo PROUNI. É necessário acessar a plataforma digital no período de divulgação anunciada, que não é o mesmo do Sistema de Seleção Unificada.

É importante ressaltar que você pode se inscrever com a mesma nota do Exame Nacional do Ensino Médio para se inscrever em amos os sistemas na entrada do meio do ano.

Como parcelar o pagamento do DPVAT?

O DPVAT é um dos valores mais importantes que os proprietários de veículos no Brasil tem precisam pagar. Este valor corresponde a garanti a do seguro para os motoristas e por isso, deve ser cumprido sem hesitação. Para quem já está planejando pagar o DPVAT, confira a seguir como parcelar o pagamento dele e fique por dentro de tudo.

O que é o DPVAT?

O DPVAT corresponde ao Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres e o pagamento dele garante que você possar ser ressarcido pelos danos causados em um acidente de trânsito. Por ser um seguro obrigatório, é necessário cumprir esta tarifa no prazo estabelecido pelo mesmo.

Muita gente não sabe, mas o seguro do DPVAT não busca um culpado pelo acidente de trânsito e pode favorecer qualquer pessoa envolvida em uma situação de perda, seja o proprietário, o outro motorista, os passageiros ou até mesmo, os pedestres.

Qual o valor do seguro?

O seguro do DPVAT se divide em algumas categorias de remuneração, como por exemplo, a de despesas médicas, invalidez temporária, invalidez permanente e morte.

Cada uma destas categorias irá dispor de um benefício diferente, então, para quem estava questionando quanto ao valor do seguro DPVAT, vale lembrar que irá depender da comprovação da circunstância em que você se encontra.

O valor pode ir até R$ 13,500, se forem comprovadas devidamente as perdas, despesas médicas e os danos em questão. Para que todos sejam beneficiados com a remuneração do seguro, é necessário que os proprietários do veículo estejam com o DPVAT em dias, por isso, é importante não deixar de cumprir com eles. Caso esteja em atraso, o pagamento só é liberado após a regularização da situação.

Como parcelar o pagamento do DPVAT?

O DPVAT é um seguro muito importante que vai cobrir não só você mas outras pessoas. Quem quer ficar em dias com o seguropode parcelar o pagamento do DPVAT através do site da Seguradora Líder, responsável pelo recurso no país.

É necessário acessar o site e fornecer informações tanto pessoais como as do carro para gerar a guia de pagamento do DPVAT. Você poderá escolher a opção de parcelamento no site, antes de gerar a guia.

Depois de escolher a forma de pagamento e as parcelas, é só cumprir com as tarifas e ficar regular com a obrigatoriedade. Lembre-se: não pagar o DPVAT pode gerar cobrança de multas e acréscimo de juros.